Soberanas do
31º Festival

Nayara Helena de Jesus Silva, acadêmica de Direito na UIbra e domiciliada no bairro Centro, é a rainha do 31º Festival Internacional de Balonismo. Nayara foi eleita em evento realizado no dia 23 de fevereiro, quando também foram indicadas as princesas Natália Mahaila, formada em Fisioterapia pela UFSC e domiciliada no bairro Centenário, e Neusa Lopes Flauzino, estudante no Instituto Estadual de Educação Marcílio Dias e domiciliada no bairro Vila São João. O concurso ocorreu na Prainha, na Praça Borges de Medeiros.

Natália Mahaila
Princesa do 31º Festival
Confira o bate-papo
Nayara Helena de Jesus Silva
Rainha do 31º Festival
Confira o bate-papo
Neusa Lopes Flauzino
Princesa do 31º Festival
Confira o bate-papo

Fotos: Vana Rodrigues

Bate-papo com as Soberanas

Nayara Helena de Jesus Silva

Data de nascimento:
27/06/1993

Qual a sua ambição profissional?
Ser juíza ou delegada. Mas juíza está ganhando.

Cite uma música de destaque:
Survivor- Destiny’s Child

Indique um livro e por que:
O Pequeno Príncipe. Porque o livro aborda a questão de que as pessoas vão crescendo e deixam de dar valor as pequenas coisas da vida. Aborda a infância inconsciente dentro de cada adulto, trazendo o sentimento de amor, esperança, inocência. Traz o verdadeiro valor de algo ou alguém.

Cite um ponto turístico de Torres que mais te agrada:
Parque da Guarita.

Cite uma personalidade que você se inspira e por que:
Mandela. Por ser uma figura, uma grande inspiração na busca pela igualdade, direitos e contra o preconceito.

Um desejo a ser realizado?
Conseguir ajudar o maior número de pessoas possíveis com mais frequência. O que consigo agora está dentro do que posso, mas quero mais.

Uma lembrança especial de um balonismo?
O balonismo que levei o meu filho, quando já sabia falar/se expressar melhor, e vi os olhos dele brilhar, vi o encantamento que o mesmo ficou com todos os balões. E ainda tinha a esquadrilha da fumaça. Juntou as duas coisas que o meu filho mais ama avião e balão.

Qual show você acredita ser imperdível nesta edição?
Todos os shows são maravilhosos, Anitta tem tudo para ser o show imperdível. Mas o do Thiaguinho também. Fico em dúvida entre esses dois, pois adoro ambos.

Qual pessoa você levaria para voar no balão?
Levaria meu filho. Mas se possível a minha mãe também porque voar de balão é um grande sonho dela que ainda não consegui realizar infelizmente.

Quem te levou no Festival de Balonismo pela primeira vez?
Minha mãe. Sempre foi e continua sendo uma grande admiradora do Balonismo.

Nestes 30 anos de festival de balonismo, descreva um momento marcante para você:
O momento mais marcante do festival para mim não tem como não ser o de agora, o qual fui eleita a Rainha. Este realmente é o momento. Pois eu, sendo a primeira rainha negra de todos os festivais que já aconteceram, no momento em que o nosso país passa por questões de empoderamento, representatividade, na busca de respeito, igualdade e luta contra o preconceito, eu podendo fazer parte da história deste incrível e indescritível acontecimento, que é o nosso Festival, é muito marcante e uma grande honra. Tenho uma grande responsabilidade de representar a mais bela praia gaúcha, levar o nome de Torres, expandir o nosso Festival Internacional de Balonismo (que já é bastante conhecido) para o nosso Estado e para todo o Brasil também, pois o nosso festival recebe pessoas de todo o país inteiro e de estrangeiros também. Então o momento mais marcante para mim é o de agora.

O que a cidade de Torres representa para você?
Torres representa o recomeço / começo. Recomeço porque minha mãe escolheu vir para cá para recomeçar, dar um futuro bom para nossa família. Começo para mim que escolhi ficar aqui para viver. Pode se dizer que Torres representa a vida.

Natália Mahaila

Data de nascimento:
15/10/1992

Qual a sua ambição profissional?
Minha ambição profissional é ser reconhecida mundialmente pelo trabalho que realizo, isso não significa que o mundo inteiro precise me conhecer ou ao meu trabalho, significa que eu quero visitar muito lugares ao redor do mundo levando minha dança e minha filosofia de vida, assim como iniciei em 2017 indo dançar na Etiópia, é poder conhecer rostos e culturas diferentes e entender mais da diversidade que habita em nós.

Cite uma música de destaque:
I Was Here da Beyonce , é uma música que fala sobre deixar a nossa marca neste mundo enquanto há tempo, sobre ser alguém que faça algo, a letra foi inspirada nos ataques de 11 de Setembro. É um lembrete sobre o nosso compromisso, sobre a nossa humanidade, sobre ter compaixão.

Indique um livro e por que:
A Cabana, porque é um livro que fala muito sobre crenças, mas de uma forma diferente, fala sobre saber lidar com perdas e saber reconhecer as oportunidades que temos no caminho, o livro retrata Deus de uma forma diferente da crença popular, no livro Deus é uma mulher negra, e não um homem , isso é apenas um detalhe comparado à todas as outras crenças que o livro traz.

Cite um ponto turístico de Torres que mais te agrada:
O ponto turístico de Torres que mais me agrada é o Morro da Guarita , pela vista que tenho do mar quando estou lá em cima e pelo silêncio que acompanha o local.

Cite uma personalidade que você se inspira e por que:
Maysa Monjardim, por que era uma artista incrível, uma personalidade muito forte, que não cedia ao convencional.

Um desejo a ser realizado?
Viajar o mundo e eu gostaria que uma mensagem chegasse a todas as pessoas, de que precisamos viver de verdade, cada segundo, que precisamos olhar de outras perspectivas, que tem luz, e não é no fim do túnel, tem luz dentro de nós!

Uma lembrança especial de um balonismo?
O balonismo para mim sempre lembra renovação de energia, desde sempre, renova a cidade, renova a vibração das pessoas e traz cores ao céu, minha lembrança vem disso, uma fase importante estava entrando na minha vida em 2017 e eu fui ao parque para ver os balões decolarem, e ver eles saírem de chão naquele dia, foi o mesmo que estava acontecendo comigo, eu estava alçando novos voos.

Qual show você acredita ser imperdível nesta edição?
Todos os shows são maravilhosos, mas eu particularmente adoro Anitta, não somente pelo ritmo animado das músicas, mas também pela pessoa afirmada que ela é, quando não se prende ao que os outros falam, quando vive a vida dela da maneira que se sente bem, por ser sincera com quem ela é.

Qual pessoa você levaria para voar no balão?
Meu avô materno, recentemente tivemos uma perda significativa na família, minha tia (filha dele) estava com uma doença degenerativa, e faleceu no dia dos pais em 2018, e desde então nunca mais vi ele empolgado com alguma coisa , e quando ganhei de Princesa ele não fala em
outra coisa a não ser a possibilidade de voar, está muito empolgado.

Quem te levou no Festival de Balonismo pela primeira vez?
Na verdade eu morava na Rua Cabo Braga, que é uma das ruas de acesso ao parque, então assistia o festival no quintal de casa, mas meus pais sempre me acompanhavam quando queria ir ao parque.

Nestes 30 anos de festival de balonismo, descreva um momento marcante para você:
Um momento marcante para mim no balonismo foi a apresentação cultural que realizei no ano de 2018, era a primeira vez no palco das minhas alunas, e foi emocionante ver meu trabalho concretizado no palco através delas, o balonismo é um festival completo, abre as portas para a cultura, que é de extrema importância para o turismo e assim para a economia da cidade.

O que a cidade de Torres representa para você?
Representa raiz, como sempre digo, “sou do mundo”, mas Torres representa meu centro de equilíbrio, minha história em sua maior parte, para que não importe o lugar em que eu esteja, eu nunca esqueça de onde vim.

Neusa Lopes Flauzino

Data de nascimento:
26/05/2001

Qual a sua ambição profissional?
Pretendo me ingressar no curso de Engenharia Civil e sempre me destacar no que eu for fazer. Ser bem-sucedida está entre algumas das minhas metas de vida.

Cite uma música de destaque:
Trem bala por Ana Vilela.

Indique um livro e por que:
Nosso lar, é um livro bem interesse, e diz sobre ajudar o próximo, vida após a morte, e algumas questões sobre a religião espírita, vale muito a pena ler

Cite um ponto turístico de Torres que mais te agrada:
Parque da Guarita, um lugar calmo, que traz paz, tem um clima ótimo e entre outras inúmeras qualidades.

Cite uma personalidade que você se inspira e por que:
Chico Xavier, além de ter uma história de vida bem marcante, ele é um marco para a minha religião

Um desejo a ser realizado?
Constituir a minha família e ser muito feliz.

Uma lembrança especial de um balonismo?
A primeira vez que eu fui, eu era bem pequena, e toda aqueles balões encheram meus olhos, realmente foi um momento mágico.

Qual show você acredita ser imperdível nesta edição?
Acredito que todos serão excelentes, mas em especial o show da Anitta, pois é uma artista que eu gosto muito e sempre acompanho nas redes sociais.

Qual pessoa você levaria para voar no balão?
Uma das minhas duas irmãs. Pois desde o início elas me apoiaram muito para fazer parte da corte, e seria uma forma de mostrar minha gratidão poder proporcionar um momento desse pra uma delas.

Quem te levou no Festival de Balonismo pela primeira vez?
Minha família, e desde então não perdemos nenhuma edição.

Nestes 30 anos de festival de balonismo, descreva um momento marcante para você:
A primeira vez que eu trabalhei dentro do balonismo e pude conviver com a rotina de quem trabalha lá dentro e faz tudo acontecer.

O que a cidade de Torres representa para você?
Torres é um pedacinho do paraíso na Terra. A cidade é encantadora e rica em belezas naturais, foi um dos motivos que fez minha família escolher Torres para morarmos. Torres hoje é a minha cidade do coração e me faz viver apaixonada por tudo aqui, ainda mais quando o céu está coberto de balões!